Iodoterapia I (Doses acima de 30mCi)

O que é iodoterapia?

Iodoterapia é, como o nome já diz, a terapia com iodo radioativo. O iodo radioativo é usado na terapia do controle dos carcinomas diferenciados da glândula tireóide. O objetivo deste tratamento de combate às células cancerígenas presentes na tireóide, é destruir através da radiação emitida pelo iodo, as funções destas células que ainda restaram após a cirurgia (tireoidectomia).

Para este tipo de terapia é necessária a internação do paciente. Esta internação, além do melhor controle clínico, permite que se aguarde a eliminação e a diminuição da radiação emitida pelo iodo ingerido, evitando assim que outros indivíduos sejam irradiados desnecessariamente ou se contaminem acidentalmente.

 

O que é o iodo radioativo (131I)?

O iodo é um elemento presente em nosso dia-a-dia principalmente no sal iodado que encontramos em nossa alimentação. O iodo contido no sal de cozinha é de muita importância, pois ele é a essencial fonte de nutrição para a glândula tireóide. Esta glândula encontra-se na parte anterior do pescoço e, é responsável pela secreção de hormônios essenciais para o metabolismo humano, como o T3 e T4 (respectivamente triodotirosina e tetraiodotirosina).

O iodo radioativo na forma de iodeto de sódio (NaI-131), é um elemento que apresenta algumas características físicas a mais que o iodo encontrado no sal, ele é produzido por processos físicos a partir do iodo encontrado na natureza. Por possuir as mesmas características que o iodo (NaI), o iodo radioativo será também captado pela glândula tireóide, por fazer parte do metabolismo da glândula. Além destas características de afinidade com a tireóide, este iodo é dito radioativo por emitir radiações de duas maneiras: radiação gama (semelhante aos raios X) e radiação beta, esta última empregada no propósito de terapia no combate às células cancerígenas ainda presentes na glândula tireóide. A radiação beta emitida pelo iodo radioativo são partículas que possuem muita energia, que servirão como pequenas “bombas”, e irão se armazenar no tecido da tireóide destruindo as células cancerígenas.

Por emitir dois tipos de radiação, o iodo (I-131) emite radiação do tipo gama, que será utilizada para fazer imagens ou estudos da tireóide como a cintilografia. Para a cintilografia, se utiliza dose deste mesmo material em concentrações de radiações muito menores que à utilizada na terapia. A dose de iodo radioativo (I-131) para uso terapêutico é determinada por um estudo prévio de captação de iodo pela tiróide, com concentrações pequenas de radiação (cintilografia), ou por um estudo clínico do paciente (anamnese).

 

Algumas dúvidas comuns de pacientes em tratamento com iodo radioativo (I-131)

  • Porque você esta recebendo um tratamento radioativo?

Você irá receber um tratamento com iodo radioativo, porque foi decidido junto com seu médico, que este é o melhor método de tratamento de sua doença. Uma quantidade de radiação emitida pelo iodo será absorvida pela sua glândula tireóide, localizada na parte anterior do pescoço. Esta radiação irá atuar na sua glândula, produzindo um efeito benéfico no combate à sua doença. No entanto, pequenas quantidades presentes em seu corpo, talvez alcance pessoas próximas, expondo-as à radiação desnecessariamente.

  • Como é administrados o iodo radioativo e qual o tipo de preparação será necessário?

O iodo radioativo será administrado por via oral em quantidades (doses), de acordo com a sua doença. A dose será determinada pelo médico responsável pelo tratamento. Para doses acima de 30mCi (medida de atividade radioativa), você deverá permanecer hospitalizada por alguns dias, para evitar que você exponha outras pessoas desnecessariamente. Mulheres deverão estar completamente seguras de que não estejam grávidas, para receber o tratamento. Alimentos, não deverão ser ingeridos 2 horas antes de receber a dose de iodo e, em alguns casos, será recomendado dieta pobre em iodo por alguns dias antes do tratamento (se necessário, isto será recomendado pelo seu endocrinologista). Você deverá conversar com seu médico ou com um físico de medicina nuclear para esclarecer todas as suas dúvidas sobre a organização das atividades suas e de sua família.

  • Quanto tempo o iodo radioativo permanecerá em meu corpo?

O iodo radioativo permanecerá em seu corpo por alguns dias. Uma pequena quantidade de iodo será captada pela sua tireóide, e o restante será eliminado em ±48 horas, principalmente pela urina. Uma quantidade menor será eliminada pela saliva, pelo suor e pelas fezes. O iodo radioativo que permanecer na sua glândula também irá diminuir rapidamente. Por este motivo é necessária a ingestão de bastante líquido durante e alguns dias após o tratamento.

  • Quando outras pessoas estarão sendo expostas à radiação emitida pelo meu corpo?

A radiação emitida pelo iodo radioativo presente no seu corpo é muito similar aos raios X usados em diagnóstico médico. Por esta razão, pessoas que ficarem próximas a você por um tempo prolongado, estarão sendo expostas à radiação desnecessariamente, podendo isto ser evitado.

  • Como eu posso reduzir o risco de exposição a outras pessoas?

Existem três princípios básicos para evitar exposições desnecessárias à radiação:

DISTÂNCIA: Não permanecer muito perto de pessoas. A radiação diminui significamente com o aumento da distância.

TEMPO: A exposição da radiação à outra pessoa dependerá do tempo que elas ficarem próximas à você. Portanto, evite contatos prolongados com as pessoas.

HIGIENE: Uma boa higiene minimiza as probabilidades de contaminação direta com o iodo radioativo. Devido à maioria do iodo ser excretado pela urina, é muito importante que se lave bem as mãos após ir ao banheiro.

 

Alguns conselhos importantes

Peça ao Físico médico as recomendações necessárias em detalhes para evitar exposições desnecessárias às pessoas que ficarem próximas a você. Esclareça todas as suas dúvidas e não evite perguntar.

Durma sozinho durante alguns dias após o tratamento. Durante este período evite beijos e relações sexuais. Evite também contatos prolongados com pessoas, especialmente crianças e mulheres grávidas, devidas elas serem mais sensíveis à radiação do que as outras pessoas.

Se você tiver uma criança pequena ou você cuida de uma, obtenha informações especiais do seu médico. Não às segure em seus braços; não às alimente; não troque suas fraldas; etc. Se você está amamentando, pare com a amamentação, porque o iodo é também excretado pelo leite mamário. Você deverá trocar para um outro tipo de leite.

Você deverá lavar bem as mãos após ir ao banheiro. Use mais papel higiênico que o normal. Dê a descarga do vaso sanitário duas a três vezes após o uso. Homens deverão urinar sentados por alguns dias para evitar respingos de urina fora do vaso sanitário ou nas bordas.

Beba muito líquido para eliminar bastante urina se possível; coma balas “azedas” ou tome suco de limão para produzir mais saliva e evitar a retenção de iodo nas glândulas salivares. Mantenha sua escova de dente separada das outras pertencentes de sua família.

2 de janeiro de 2012, postado em: Orientações